quinta-feira, 30 de março de 2017

A Graça que Salva - A.W Tozer


A graça é a bondade de Deus confrontando o demérito humano. 
Então, a graça é o que Deus é — imutável, infinito e eterno!
Isto esclarece a conduta do Senhor para com os homens e mulheres através de todas as dispensações de histórias do Antigo Testamento. Certamente é verdade e um conceito adequado no qual podemos nos firmar: que ninguém jamais foi salvo, ninguém é salvo e ninguém será salvo, a não ser pela graça de Deus.
Antes que Moisés viesse com a Lei, os homens eram salvos somente pela graça. Durante os dias de Moisés, ninguém foi salvo, exceto pela graça. Depois de Moisés, antes da cruz, depois da cruz e durante todas as dispensações, em qualquer lugar, em qualquer momento, ninguém jamais foi salvo por algo que não fosse a graça de Deus!
Podemos dizer isso com segurança porque o Senhor tratou graciosamente com a humanidade aguardando a encarnação e a morte propiciatória de Cristo.
Se Deus não tivesse agido sempre em graça, Ele teria dissipado a pecadora raça humana. Esta, então, é a boa nova: Deus é gracioso em todo o tempo, e quando Sua graça se torna prática por meio de nossa fé em Jesus Cristo, há, então, o novo nascimento procedente do alto!

Fonte:
Livro A.W. Tozer - Devocional Diário

quarta-feira, 22 de março de 2017

O problema do lobo é achar que todo pastor tem medo de uivo.



Já estava demorando pra que a babilônia evangélica brasileira se levantasse contra aqueles que, a exemplo do Ap. Paulo, se apresentam como coluna e baluarte da Verdade (1 Tm 3.15). E esta atual baixaria (Malafas e suas acusações, ameaças, comentários e até desafios sem noção lançados sobre um fiel ministério e seu pastor) provavelmente se deu mediante a percepção e comprovação [por parte dos hereges] de que as estruturas de ouro e prata que sustentam o atual circo gospel do Brasil podem ser abaladas e ainda se desfazerem pelo Fogo da Verdade (1 Cor 3:11-15). Com certeza este é um risco considerável para aqueles que são sustentados pelas cifras bancárias do mercado da Fé.
Enumero abaixo alguns motivos que dentre muitos, os considero como os mais importantes, que podem elucidar estes uivos e latidos raivosos da parte dos lobos:

1) (Misericórdia) O fim se aproxima, e esta já é uma verdade incontestável diante dos acontecimentos que têm marcado essa era. Um notável sinal dado pelo Senhor Jesus e seus apóstolos, foi o surgimento e propagação dos falsos mestres e profetas que inundariam o mundo disseminando suas doutrinas inspiradas por demônios, levando muitos após os seus falsos ensinos e exemplos. Porém, a despeito deste notável sinal que observamos em elevada intensidade nos últimos anos; vemos também uma gloriosa manifestação das verdades bíblicas porquanto o Senhor Deus, Bondoso e Gracioso, novamente tem levantado os seus profetas, seus preciosos de pés formosos, para que cheios de Graça e do Espirito Santo, preguem as boas novas das veredas antigas e em alto e bom tom conclamem a todos a que se ARREPENDAM!

2) (Sequidão) Ainda que financeiramente próspero, colorido e barulhento, o cenário evangélico brasileiro em nada se difere do que está descrito em Ezequiel 37 (O vale de Ossos Secos).  Os homens insistem em amar mais as trevas do que a Luz (Jo 3.19), eles [falsos mestres], ainda que distraindo suas carnes com os frutos podres (lucros) de seus ministérios (negócios), não percebem ou não se importam com a desnutrição espiritual que infligem sobre os rebanhos desnorteados...

3) (Fome) Há uma geração de jovens cristãos (e muitos não jovens também), cansados, fracos, entristecidos e famintos por Deus, decepcionados e desesperados por vida de verdade... Portanto, essa geração que não aguenta mais tentar matar a fome com palha, e a sede com lama, tem procurado (como a corsa Sl 42), pela fonte de Águas da Vida, e a têm encontrado jorrando na e da vida de homens e mulheres que como os 7.000 (1 Reis 19.18), não se dobraram diante de Baal (Deus da fertilidade, colheitas, etc.) e que verdadeiramente ainda amam o Deus da Bíblia e experimentam as verdades das Escrituras de Deus, que andam com o Senhor do universo, e que como os antigos, não podem deixar de falar do que têm visto e ouvido (At 4:20).

4) (A internê) A despeito dos grandes benefícios que os avanços tecnológicos e a globalização midiática de extrema acessibilidade em nossos dias têm proporcionado; constata-se que tais avanços também são a grande causa de devastação e desordem nesta geração. Mas, ainda que sabido da má influência cibernética, podemos dar Glorias a Deus, pois que tem feito destes artifícios, potentes ferramentas de propagação da Sã Doutrina, tal qual Lutero e seus escritos em portais e muros; a internet e suas facilidades têm sido a maior máquina de disseminação da atual, necessária e pertinente R.E.F.O.R.M.A.

5) (Verdade) Ouvindo a verdadeira mensagem do Evangelho (Sã Doutrina), esta geração que se levanta pode comprovar com eficácia que o que Deus em sua Santa Palavra revelou de Si mesmo e De Seu Glorioso Plano de Redenção, em quase nada se assemelha às doutrinas que são engolidas pelas massas domingueiras dentro dos templos de adoração ao ventre. E novamente na história, a Verdade caminha pelo viés que dá encontro ao povão, mais uma vez o nome do Senhor é anunciado e consequentemente adorado de verdade, pois que o verdadeiro Evangelho da Graça de Deus tem sido manifesto e conhecido.

Por tanto, já que o povo está sendo atingido (misericordiosamente) pela verdadeira Palavra de Deus através de ferramentas que de fato as alcançam, e essas pessoas que, convenhamos, em sua grande maioria se encontram vazias, famintas pela verdade, tendo os olhos vendados, seguindo e tateando os rastros dos guias cegos, obviamente ao se depararem com as glorias da Verdade Divina revelada na Bíblia... como não teriam seus olhos abertos? Logo, estão mudando os rumos de sua caminhada de entrega à mentira e convertendo-se ao caminho da verdade... o que,então, poderíamos esperar de um acontecimento como estes (Oposição aos propagadores da Sã Doutrina)? Tal qual Elimas o encantador, é natural que os falsos profetas se levantem e procurem de alguma forma barrar a propagação da verdade (Atos 13).

Sempre foi assim e sempre será, quando a Luz clareia, as trevas retrocedem.
Não durmamos, reitero: o livro de Deus nos revela que a Luz é rejeitada por aqueles que amam as trevas, pois não querem que suas obras más sejam aparentes aos olhos alheios (Jo 3:19).
Mas glorificado seja o nome de Jesus, que pela História nos mostra a Igreja do Senhor sempre que perseguida, obtendo potência em sua voz evangelística como um mega-fone, levantando o alcance das Grandiosas Verdades de Deus.

Tão somente Oremos por todos os santos que lutam em Defesa do Evangelho!

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Conhecimento da Verdade produz liberdade. Jo 8.31-34


No relato de João, Jesus é apresentado constantemente como a Luz de Deus que ilumina o mundo. Cristo não é apenas um homem iluminado; pois Ele mesmo é a Fonte e o Agente que propaga a Luz das Verdades Divinas sobre toda a escuridão das mentiras terrenas.

O texto em questão nos revela a maravilhosa intenção de Deus para com a humanidade: Plena Liberdade.
E esta gloriosa revelação emana das palavras de Cristo como que um intenso fleche de luz permeando as janelas dos porões das consciências dos homens, iluminando toda a escuridão que os impede de enxergar que as verdadeiras cadeias e cárceres se encontram nas profundezas de suas almas.

Neste diálogo com os judeus, é revelada a 'bengala' de apoio daqueles homens que os sustentavam em sua falsa concepção de liberdade, a qual se baseava simplesmente em sua religião e cultura [Filhos de Abraão]. Os homens ao qual Jesus aqui lança a luz da Sua Palavra representam não só o povo de Israel, mas toda a humanidade caída e aprisionada pelo pecado. E para que a verdadeira liberdade seja implantada, é preciso retirar a falsa. E foi isso o que o Senhor fez, abalando os alicerces das convicções que os sustentavam em sua profunda cegueira e comodismo.

Como aqueles judeus, estamos acostumados a ver as coisas mais importantes da vida usando uma lupa, enxergando a micro-situação e não a plena realidade de nossa condição. Como aqueles judeus não conseguiam compreender que mesmo sendo possuidores de conhecimento e convicção em sua religião e crença, como aprenderam desde o berço [que era a única verdadeira no mundo inteiro]; não percebendo que estas coisas não eram suficientes para conferi-los Plena Liberdade; assim também somos nós em nossas próprias cosmo visões. Um exemplo claro de falsa liberdade são os muitos que desfrutam de palácios, carros luxuosos e uma vida material esplendorosa, mas são verdadeiros prisioneiros dos cárceres do pecado, frustrados e ilhados pelos medos e infortúnios emocionais, etc.
Não conseguimos observar que nossas menores escolhas estão manchadas e corrompidas. Não percebemos que ainda as mais belas atitudes sociais estão, no íntimo, contaminadas pelo mofo das celas sombrias e enclausuradas das prisões da alma humana.

A Palavra de Cristo nos mostra que Ele veio comunicar a verdadeira Liberdade (se permanecerdes em minhas Palavras); permanecer na Palavra de Cristo significa não ter medo de ver o que a Luz de suas palavras nos pode revelar; somente Suas Palavras é que podem iluminar o nosso íntimo e nos fazer perceber que definitivamente não somos Livres, mas sim criminosos por natureza vivendo em um mundo com muitas opções de fazer o que é errado e as vezes até de maneira que pareça certo. Esta é de fato a verdade que passamos a conhecer, a de que se ainda que tenhamos o melhor dos advogados de defesa para nos livrar da justa condenação, não seríamos absolvidos de nenhum dos nossos crimes, pois sabemos que as leis de Deus são absolutamente mais elevadas em seus padrões comparadas às leis dos legisladores humanos e que Deus não apenas as transmitiu aos homens, como Ele também é o Justo Juiz que julga com perfeita retidão.

Logo, permanecer na Palavra de Cristo significa conhecer e continuar conhecendo a nossa profunda necessidade de um Salvador, pois somente a Luz divina ilumina nosso ser de maneira que fiquemos convencidos de que não há nenhum caminho de fuga, nenhum artifício eficaz, nenhum método seguro, nenhuma segurança que brote de nós mesmos, de que seremos absolvidos de nossos todos os nossos crimes.
Mas que a justiça de Cristo nos é transferida Pela Graça de Deus, motivada por Seu Imenso amor, e abraçada pela Fé nesta obra redentora realizada por Seu Filho.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Anseio



A Bíblia contêm Cerca de 300 referências à primeira volta de Cristo e quase 8 vezes mais referências à segunda, o Grande e Terrível Dia do Senhor.

E é maravilhoso como nos tempos da igreja primitiva podemos ver com clareza a preocupação do povo de Deus pela iminente volta de Jesus. Ainda que muitos dos sinais dados pelo Senhor não fossem tão patentes aos olhos dos irmãos da época.

Há não muitas décadas ainda podíamos, sem muitos percalços, observar uma igreja cheia de anseio e ardente desejo pelo retorno do Senhor Jesus.  As pregações eram abarrotadas deste zelo santo, os hinos eram entoados com profundo amor pela Sua volta. Ainda assim, o mundo não possuía tão elevado conhecimento de si, não havia por parte das massas, a absorção das informações referentes aos acontecimentos mundiais como hoje o temos.

Observamos então, na ótica deste contraste, o maior sinal da volta do Senhor: A apatia e descaso da igreja, mesmo diante de tanto conhecimento que esta geração possui a respeito dos fatos que já se constituem em sinais visíveis e irreversíveis da Volta do Senhor. Nunca antes tivemos tão intenso acesso à todas as informações do estado em que se encontra este planeta e a raça humana, e nunca antes fizemos tão pouco caso da iminência da volta de Cristo. Ainda que parecesse distante, os irmãos do passado viviam como se Cristo voltasse num instante. Hoje, ainda que claro e patente esteja (Cristo está às portas), vivemos como se isso nunca fosse acontecer.